Meditações

NÃO RECLAME DA VISITA

NÃO RECLAME DA VISITA

 

“Sejam mutuamente hospitaleiros, sem reclamação” (1 Pedro 4:9).

 

Receber uma pessoa inoportuna e indesejada em casa não é o programa preferido para um fim de semana, no entanto, a ordem no texto sagrado acima vai além das nossas preferências, nele há lições preciosas. Vejamos:

Primeira, abra sua casa tantas vezes quanto você foi recebido por seus amigos e parentes. Infelizmente, muitos gostam de visitar, mas não gostam de visitas. Note o que diz o texto sagrado: “Sejam mutuamente hospitaleiros”. Literalmente: “toma lá, dá cá”. Visitou, abra as portas para ser visitado. Não por interesse ou dever, mas pelo prazer na reciprocidade.

Segunda, não reclame das visitas de seus amigos e parentes. O texto diz: “sem reclamações”. Qual a valia de abrir a casa para ser visitado e depois abrir a boca para reclamar da “bagunça” deixada pelos amigos e parentes? A ordem do apóstolo é “sem reclamações”. Não reclame da visita. Você não gostaria de saber que alguém depois que o recebeu em sua casa reclamou de sua visita. Sendo assim, não faça com os outros aquilo que você não gostaria que fizessem com você.

Infelizmente, é verdade que algumas pessoas mesmo sendo bem tratadas em nossas casas ainda abrem a boca para reclamar da maneira como foram recebidas. Nesse caso, são verdadeiras as palavras do escritor e humorista Mark Twain: “recolha um cão de rua, dê-lhe de comer e ele não morderá: eis a diferença fundamental entre o cão e o homem”.

 

ORAÇÃO: Querido Deus, ajuda-me a abrir as portas da minha casa sem segundas intenções. Que a minha casa seja um encontro de anjos!

Athos no Facebook

Athos & Meditações

O que dizem sobre nós

Só uma escola com uma excelente estrutura, pode oferecer o melhor para nossos filhos, estrutura essa, tanto em suas instalações, quanto acadêmica e espiritual. Ricardo Luis

"Eu gostei de aprender de forma prática sobre os paralelos e meridianos. Eu gostei de fazer a bola com a minha mãe, usando barbante, cola de isopor e alfinetes".  Ana Cecília - 6º ano A

«
»